Fazer Intercâmbio é bom? Quanto tempo Dura? Países que Auxiliam

Intercâmbio

Um assunto que sempre é discutido em salas de aula, já que muitos estudantes da língua inglesa tem a intenção de fazer um intercâmbio, e, inclusive, esse é um dos vários motivos pelo qual tal aluno quer aprender a falar inglês.

Para que o aluno possa fazer um intercâmbio, antes de tudo, esse aluno deve absorver o máximo de informações possíveis sobre o assunto, pois é um assunto de suam importância e requer extrema atenção, já que se trata de sair do País de origem. A partir desse momento é necessário conhecer as jurisdições do País que será visitado para que não haja nenhum problema durante a estadia.

Continue lendo o artigo e aprenda tudo sobre como fazer um intercâmbio seguro.

 

O que é e para que serve um Intercâmbio?

 

É um programa em que um aluno viaja e estuda em outro País, com a intenção de aprender a sua linguagem e cultura, no intuito, de um dia, talvez, se mudar para esse País, ou adquirir experiência o suficiente para trazer benefícios pessoais e profissionais para ela mesma.

Existem vários programas de intercâmbio, e a maioria deles é promovido por instituições de educação que apoiam e incentivam seus estudantes a terem um bom desempenho escolar para que estes possam ter a oportunidade de viajar, concorrendo com demais alunos. Essas mesmas instituições financiam a viagem do aluno pelo tempo determinado. Dessa forma, cada aluno deve procurar na secretaria de sua escola se existe algum plano de intercâmbio em que o mesmo possa concorrer.

Outros programas de intercâmbios são fornecidos por cursos de inglês, por valores mais acessíveis do que os originais, caso o aluno quisesse fizer por conta própria, por exemplo.

Concluindo, pode se dizer que um intercâmbio é uma ferramenta que eleva os níveis de conhecimento pessoal dos alunos, trazendo um pacote que fornece, além de uma imersão na cultura intencionada, uma experiência ímpar ao aluno.

 

tempo duraçao

Quanto tempo dura um intercâmbio?

 

Tudo dependerá do plano do intercâmbio. Algumas instituições fornecem planos de intercâmbio de curto-prazo, enquanto outras instituições fornecem planos de longo-prazo.

Os intercâmbios de curto-prazo variam de 15 a 30 dias, onde, por exemplo, nesses períodos um pouco mais curtos, o aluno aprenderá o convívio com uma outra cultura e fará uma imersão para conhecer como a linguagem flui em outro País, saindo, dessa forma, do convívio com a linguagem de seus colegas de turma e de seus professores, se aprofundando com os sotaques, expressões e regionalismos que ocorrem em uma língua não-nativa.

Os intercâmbios de longo-prazo possuem uma intenção um pouco mais objetiva do que os de curto-prazo, e variam de 3 meses a 1 ano. Os de longo-prazo, geralmente, são intercâmbios entre instituições que possuem projetos de trabalho ou de pós-graduação.

Sendo assim, alguns estudantes vão para, além de estudar, ter a oportunidade de conseguir um emprego temporário para se sustentar durante o tempo fora do País de origem, adquirindo assim, experiência e estabelecendo fixação para poder retornar em um intercâmbio mais longo, ou até mesmo, com um visto empregatício.

É importante lembrar que os intercâmbios de longo-prazo exigem que o aluno possua um visto com a duração pretendida, e para conseguir esse visto, há a necessidade de que este aluno comprove as condições de estudo pelo qual fará a jornada. Isso significa que, para fazer intercâmbios com mais de um mês, é necessário estar estudando.

 

países intercâmbio

Países que Apoiam Intercâmbios e Auxiliam com Emprego e Dinheiro

 

Pode parecer mentira, mas isso realmente existe. Alguns Países de primeiro mundo oferecem bolsas de estudo para alunos que querem se aprofundar em seus estudos específicos e também para que tais alunos morem nesses Países. Sendo assim, tais Países irão dar um auxílio para o aluno, como um emprego um pouco mais informal ou até mesmo com uma quantia em dinheiro para que, dentro de alguns meses, o aluno consiga encontrar um emprego voltado às suas habilidades.

Alguns Países que fazem esses tipos de planos são a Austrália, Nova Zelândia, Dinamarca, Alemanha, Suécia, Holanda, Irlanda e Canadá.

Esses países oferecem planos de pós-graduação, na maioria das vezes, mas cursos de ensino superior também podem fazer parte do pacote, assim como bolsas para curso de estudo de inglês. Isso significa que se o aluno tem a intenção de morar fora do País, esse aluno deve correr atrás de planos de intercâmbio e fazer sua inscrição para que haja uma possível transferência ou chamada.

Para conseguir fazer uma inscrição, o aluno deve, primeiramente, procurar por instituições dentro do País a qual pretender visitar. Por exemplo, se a intenção é morar na Irlanda, que é um País que recebe os brasileiros de braços abertos, o interessado deve procurar pelas principais instituições de ensino do País.

Um exemplo de instituição é a Seda College, que oferece cursos de inglês, não obstante possuir sedes dentro do território nacional, como em São Paulo, facilitando ainda mais a vida do aluno caso esse queira realizar um intercâmbio por intermédio da instituição. No entanto, a Seda College não trabalha com essas bolsas de incentivo, por isso haverá a necessidade de haver pesquisas e muitas inscrições.

 

 

viajar intercambio

Como fazer um Intercâmbio?

 

É muito animador falar sobre intercâmbios e sobre todas as oportunidades que isso oferece ao aluno, mas tudo isso acaba sendo deixado de lado quando a questão dos valores entre em cheque. Quando não houver a possibilidade de ir em um intercâmbio sem nenhum tipo de financiamento, os valores podem assombrar as pessoas à primeira vista, mas no final, o resultado sempre vale a pena.

 

É necessário saber que haverá custos, como por exemplo:

 

  1. Valor do Curso
  2. Passaporte
  3. Passagens
  4. Seguro de Vida (opcional)
  5. Estadia
  6. Alimentação
  7. Transporte
  8. Visto (dependendo do País)
  9. Passagens internas (opcional)

 

 

Pacotes de intercâmbio internos oferecerão preços em que tudo isso estará incluso, podendo variar de 15 mil a 20 mil reais por um período de 10 a 15 dias, por exemplo, enquanto que alguns cursos custarão 10 mil reais, sem nada incluso. Por isso é necessário ressaltar que, antes de qualquer coisa, há a necessidade de pesquisa.

 

Atualmente, o valor do passaporte está em R$ 257,25. O passaporte, antes de tudo, deve ser requisitado através da internet no site http://www.pf.gov.br/servicos-pf/passaporte

 

O seguro de vida é uma ferramenta opcional, mas de extrema importância. A prevenção é um dos principais fatores que devem ser analisados, pois, caso venha a ocorrer um acidente em um País estrangeiro e os valores passarem do orçamento da pessoa? Um transtorno será instaurado, podendo deixar a pessoa com uma grande dívida e, inclusive, podendo ficar retida no País até os valores se acertarem.

Isso ocorre com mais frequência nos Estados Unidos, onde não existe atendimento público nos hospitais. Na maior parte da Europa, isso não é um problema. Empresas internacionais precisam ser consultadas e um valor deve ser pago, que gira em torno de R$ 800 para uma pessoa que ficará cerca de um mês nos Estados Unidos.

 

➍ As passagens são os valores mais caros. É importante saber que, quanto mais próximo da data, mais cara ficará a passagem, por isso é bom comprar as passagens muito tempo antes de realizar a viagem. No verão as passagens sempre aumentam e no inverno, sempre abaixam. Lembrando que a pesquisa precisa ser realizada sobre as estações do outro País, e não do Brasil.

O importante de comprar as passagens em um intercâmbio é que, por exemplo, comprar 10 passagens, se negociadas, pode sair por um preço mais baixo do que comprar 10 passagens separadamente.

 

Se a intenção for ficar em um hotel, os preços serão mais salgados, por isso os albergues (comumente conhecidos por hostels) são uma opção mais viável, onde, além do preço ser menor, o convívio com outras pessoas irá auxiliar no desenvolvimento cultural e linguístico.

 

A forma mais prática de baratear o custo da alimentação é fazendo uma compra em conjunto e utilizar a cozinha dos albergues (coisa que não é possível em um hotel, por exemplo) para preparar os alimentos. Essa é uma prática comum, pois realizar duas refeições por dia (almoço e janta) pode dar um valor bem alto no orçamento final.

 

Por mais que a intenção de um intercâmbio seja o de estudo, haverá a necessidade de locomoção de um lugar para outro, caso a escola seja afastada dos prédios residenciais. Ainda, o interessado aproveitará as horas de lazer para visitar o País. Então, incluir um valor somente para a locomoção tem que fazer parte do pacote. Ao saber que para visitar outros lugares basta pegar um trem (para ir da França até a Alemanha, por exemplo), a pessoa se sente mais motivada a considerar a opção.

 

Alguns Países exigem o Visto, e não somente o passaporte. Há a necessidade de obter o visto com bastante antecedência, mesmo antes de comprar as passagens.

 

As passagens internas são voos que as pessoas podem realizar para visitar locais próximos. Por exemplo, se o intercâmbio for na Irlanda, é possível que com cerca de R$ 300 (se compradas fora do Brasil), a pessoa compre uma passagem de ida e volta para a Inglaterra, ou ainda para a Europa em geral.

 

 

Qualquer possível dúvida, por favor, entre em contato conosco através da caixa de comentários que iremos prover as melhores respostas! Espero que essas informações tenham sido úteis para você, caro leitor.

 

 

Documentos para viajar o mundo  ◄◄

 

 

 

Compartilhe no ...