green card

História do Green Card

 

 

O Green Card, em tradução literal, significa Cartão Verde, que é um cartão que tem passado por modificações de nomes e cores, só ultimamente se tornando verde novamente, pois já foi branco, vermelho e azul. Ele já foi chamado de Cartão de Residência e Receita de Cartão Residente. Quem faz essas denominações é o órgão de Cidadania e Serviços de Imigração dos Estados Unidos (U.S Citizenship and Immigration Services – USCIS).

O primeiro registro de Green Card feito ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial, em 1940, no Ato de Registro Estrangeiro, onde todos os estrangeiros deveriam, a partir daquele momento, fazer um cadastro junto ao departamento do governo federal, que com o decorrer do tempo, criou o órgão de Serviço de Imigração e Naturalização (Immigration and Naturalization Service – INS), onde era feito um registro e através desse órgão era dado a conhecida Receita de Cartão Residente para cada pessoa, comprovando as delimitações desta dentro da lei.

O fato da guerra estar acontecendo, fez com que os Estados Unidos tomassem controle absoluto do Estado, registrando cada pessoa que entrava e saía do País. Toda pessoa com 14 anos de idade ou mais, devia fazer o registro, onde constaria sua foto e suas impressões digitais, comprovando assim que tal pessoa estava dentro ou fora do País.

No começo haviam locais determinados para realizar esse processo, mas com o grande crescimento de pessoas entrando pelas bordas do País, esse processo passou a ser comum em cada escritório de imigração que se situa nas fronteiras de Estados com o México e o Canadá, por exemplo.

Em determinado momento, o Serviço de Imigração e Naturalização passou a filtrar os estrangeiros através dos porquês de esses estarem entrando no País. Dessa forma, antes de tudo, o estrangeiro deveria ter um motivo plausível para querem entrar no país, e aqueles que não possuíssem base legal não entraria ou seria deportado.

O órgão responsável determinou tipos diferentes de documentos dependendo do intuito da pessoa, onde, por exemplo, alguém que estivesse no país a trabalho temporário, receberia um cartão l-100, um visitante receberia l-94c, e permanentes residentes legítimos receberiam l-151. Cada um desses cartões possuía uma cor, e o l-151, que comprava legitimidade para morar indefinidamente no País era de cor verde.

 

 

O que eu posso fazer tendo um green card?

 

O Green Card é conhecido também como Cartão de Residência Permanente dos Estados Unidos, e isso significa que a pessoa que possui um green card tem o direito de morar nos Estados Unidos como se fosse um cidadão americano.

O indivíduo que possui um green card poderá criar contas em bancos sendo o titular dessa conta, sem depender de outra pessoa ou aprovação do banco, podendo assim financiar veículos e hipotecas dentro do País.

Também será possível estudar em instituições públicas e particulares, assim como sair do País a hora em que lhe for conveniente. O green card também é um diferencial na hora de achar um emprego, pois é muito mais prático para uma empresa contratar um estrangeiro legitimado americano, sabendo que este sempre estará presente no País do que enfrentar a burocracia ao contratar um estrangeiro com datas determinadas para deixar o País e renovar seu contrato.

 

 

Sou considerado americano possuindo um green card?

 

Esse é um pensamento muito comum que ocorre nas pessoas que tem a intenção de conseguir um green card. Na verdade, para se tornar um cidadão americano, a pessoa deve se naturalizar americana, o que depende de outro processo, onde a pessoa precisará preencher uma requisição com seus dados pessoais.

Essa naturalização passará por uma análise dentro dos parâmetros governamentais, que checarão os índices que fazem com que essa pessoa possa ser considerada uma norte-americana. Um dos requisitos básicos é que essa pessoa já possua um green card.

 

 

Qual é a diferença de green card para visto?

 

Green Card é um documento em que se comprova legitimidade americana, ou seja, demonstra que a pessoa estrangeira se legalizou no país, podendo morar, estudar e trabalhar no mesmo por tempo indeterminado.

Um visto é uma aprovação cedida pelas embaixadas respectivas que determinam um prazo estipulado no objetivo que o cidadão possui ao querer adentrar as terras norte-americanas. Os vistos, geralmente, são fornecidos para trabalhadores, estudantes e visitantes, que tem o propósito de conhecer ou até mesmo morar no país, mas, como pode ser observado, o visto tem um prazo de validade que, quando passado do limite, pode fazer com que a pessoa seja ilegal no país, correndo o risco de ser deportada se não apresentar razão legal para tal atraso.

 

 

Preciso falar inglês para ter o green card?

 

Absolutamente.

Para que a pessoa seja legalizada como um legítimo cidadão americano, esta pessoa deve, no mínimo, falar inglês avançado, já que para o processo de aquisição do cartão, várias entrevistas serão feitas e vários formulários serão preenchidos.

Até mesmo para vistos de estudo, por exemplo, é exigido que o interessado possua uma comprovação de conhecimento da língua. Tais certificados podem ser adquiridos no Brasil, e os mais conhecidos são o TOEFL e IELTS. Conheça mais sobre esse assunto acessando CERTIFICADOS DE PROFICIÊNCIA EM INGLÊS.

 

 

O que posso fazer para obter um Green Card?

 

Acompanhe as formas mais usadas para se obter a legalização americana.

 

 

1.       Laços familiares

É a forma mais básica e fácil de se obter o visto permanente na América do Norte. Se houver laço familiar direto e comprovado, isto é, de primeiro a segundo grau, é plausível se tornar um cidadão americano. Basta enfrentar a burocracia dos papeis, demonstrando as relações consanguíneas e preenchendo os formulários e passando pelas entrevistas.

 

 

2.       Casamento

É possível se legalizar no País se houver um casamento com uma pessoa nativa dos Estados Unidos. Por exemplo, se um homem sai do Brasil e casa com uma americana, ele tem o direito de se tornar um cidadão americano. Era muito comum a prática de casamentos fakes, mas a jurisdição do País encurtou essas rédeas e recorrem a todos os históricos do casal.

 

 

3.       Conseguindo um emprego nos Estados Unidos

Se uma empresa estiver disposta a contratar os serviços de um profissional, essa empresa pode oferecer um visto empregatício que pode ser renovado automaticamente, sem processos burocráticos para o trabalhador. Por outro lado, o trabalhador ficará alheio à empresa, e a qualquer momento que este sair da mesma, seu visto não será renovado e, se por acaso, não houver “tempo de casa” o suficiente, não será possível obter o green card.

 

 

4.       Investindo no país

Para morar nos Estados Unidos, a forma mais fácil é ter bastante dinheiro! Comprando uma residência oficializada no País que gere uma renda de no mínimo meio milhão de dólares na economia do País, ou fazendo investimentos imobiliários e bancários do mesmo valor, que renderá um visto permanente à pessoa.

 

 

5.       Abrindo uma empresa

É basicamente a mesma ideia acima, mas nesse caso, além de obter um Green Card, a pessoa também terá em mãos o poder de vincular vistos permanentes a seus trabalhadores, caso esses sejam estrangeiros.

 

 

Mais detalhes em https://www.uscis.gov/greencard

 

Esperamos que tenha gostado das informações fornecidas sobre como funciona o green card e também sobre as formas de conseguir o seu. Qualquer dúvida que surgir, por favor, utilize os comentários para entrar em contato com o site, que responderá o mais breve possível.